sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Bromélia

Nome popular: Bromélia-Imperial

Nome científico: Alcantarea Imperialis (Carrière) Harms Família: Bromeliaceae

Características: A bromélia-imperial é uma planta herbácea, rupícola, de grandes proporções e elevado valor ornamental. Ela é acaule, com folhas longas e largas, coriáceas, com superfície cerosa, dispostas em roseta e formando um "vaso" no centro da planta, onde acumula água e nutrientes. Pode atingir cerca de 1,5 metros de diâmetro quando adulta. Suas raízes são fortes, fibrosas e se prestam não somente para nutrição da planta, mas principalmente para sua forte fixação sobre o substrato. Essa característica permite que esta bromélia se fixe em paredões rochosos verticais.
Inflorescência ereta, terminal, ramificada, bem mais alta que a folhagem, com brácteas brilhantes de cor marrom-avermelhada, com numerosas flores de cor amarela. Multiplica-se por sementes e eventualmente pelas mudas que se formam por brotações de estolões. Atrai polinizadores, especialmente os beija-flores. 
 É uma planta rústica, resistente ao vento e à maioria das pragas e doenças.

Bromélia-Imperial: a beleza explode em cores


De cada dois tipos de árvore da floresta da Mata Atlântica, um é nativo dali e não se encontra em nenhum outro local do planeta. A maioria das espécies de palmeira também é exclusiva da Mata Atlântica. Mas o recorde fica por conta das bromélias, plantas epífitas, que se fixam nos galhos e troncos de árvores e chegam a compor 70% do total de variedades existentes.
 Por ser uma espécie ornamental muito apreciada em projetos paisagísticos, a Bromélia corre sérios riscos de desaparecer. A inclusão de bromélias não só nos jardins como também em ambientes internos tem sido surpreendente. Isso significa que a procura por espécies é cada vez maior, estimulando a coleta predatória, facilitando a extinção da planta. 



 Mas, não só a ornamentação (que traz grandes lucros  aos comerciantes e estimula a coleta predatória) é responsável por esta ameaça  de extinção das bromelias. Há também a devastação de seus habitats naturais, por aqueles que a julgam proliferadora de insetos responsáveis pela transmissão de doenças como a malária e a dengue.

As mudas produzidas em viveiros é uma alternativa para diminuir, e  quem sabe, acabar, com a coleta predatória e devastadora do ambiente. As bromélias exercem importante papel no equilíbrio ecológico, como alimento, moradia e refúgio para inúmeros seres vivos - desde protozoários até mamíferos, sendo então, necessária sua preservação.




Coleção DE OLHO NO MUNDO – Revista Recreio – Mata Atlântica: A floresta corre perigo – Livro 1 – ano 2000
Fonte Foto: http://www.baixaki.com.br/papel-de-parede/19723-bromelia.htm; colunadosardinha.wordpress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário