segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Cervo do Pantanal

Olá galera, aqui venho divulgar outro animal que está em extinção e que eu nem sabia que existia no Brasil, o Cervo do Pantanal.

Cervo do Pantanal


É o maior cervídeo da América do Sul. Pesa em média 100kg, mas alguns indivíduos adultos podem ultrapassar 150kg. 
A sua extinção se deve a caça ilegal, onde no início do século foi muito procurado pela sua pele, além dos chifres para troféu de caça. Atualmente há caça furtiva praticada pelos turistas, populações de baixa renda e por caçadores de finais de semana, além da destruição de seu habitat em decorrência das construções de usinas hidrelétricas e de projetos de irrigação e as doenças introduzidas por animais domésticos como a febre aftosa e brucelose. 

O cervo-do-pantretal é característico de áreas inundáveis e de varjões de cerrado, onde se alimenta de capim e plantas palustres.O cervo-do-pantretal ocorria originalmente desde o Uruguai e norte da Argentina até os Estados brasileiros do Amazonas, Bahia, Goiás e Pará, sempre ao sul do rio Amazonas. Atualmente, sua população está restrita ao Pantretal (onde são encontrados em maior número) e à Ilha do Banretal. Pequenas ilhas de população foram identificadas no norte de Mato Grosso, no sul do Pará, Tocantins, sudoeste de Goiás e na Bacia do rio Paraná. No Rio Grande do Sul foi constatada uma última população residual, a qual pode estar extinta atualmente.
Cervo no seu habitat natural
Entre as propostas para tentar livrar o cervo-do-pantretal da extinção, estão a criação de parques, reservas particulares e outras unidades de conservação, aumento na fiscalização da caça e o estabelecimento de critérios para mitigar os danos ambientais provocados pelas usinas hidrelétricas. Além das ameaças diretas, a falta de pesquisas e de dados científicos sobre esses grandes mamíferos é outro fator que prejudica a conservação das espécies.
E como sempre cadê o IBAMA? Cadê as leis e os direitos dos animais? Onde está a fiscalização para que a caça seja erradicada? 











Fontes:
http://www.animalshow.hpg.ig.com.br/pop_cervo.jpg
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/animais/cervo-do-pantanal.php
http://www.achetudoeregiao.com.br/animais/cervo_do_pantanal.htm
http://oreinodosbichos.blogspot.com/2010/06/cervo-do-pantanal.html

domingo, 21 de novembro de 2010

SE VOCÊ DESISTIR, ELES DESISTEM

Oi pessoal,

estou passando aqui neste domingo maravilhoso, onde parece que tudo está perfeito lá fora no mundo, para postar esse video. Sinceramente não sei o que dizer sobre ele, só que me deixou muito emocionada e perplexa com o futuro.


video


E deixarei este outros sites da Argentina que luta contra algumas formas de capitalismo, para a proteção dos animais, ele nos mostra como são feitas aquelas coisas que nos usamos no dia-a-dia e o que está se passando no mundo.
Clique aqui e aqui para ver os sites.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Lobo Guará

Esse mamífero tem um sentido muito grande de família

O Lobo Guará é um mamífero nativo da América do Sul, tem hábitos noturnos, alimenta-se de aves, roedores, raízes e algumas espécies de frutos. Ele é um animal solitário, não forma alcatéias e costuma cuidar bem da fêmea e de sues filhotes.
No Brasil, ele habitou os cerrados da região Centro-Oeste e ocupou parte da caatinga do Nordeste. Outro local onde o Lobo Guará podia ser encontrado era a Zona da Mata. Essa diferente, mas elegante espécie de lobo, também, aparecia em número significativo no vale do rio Paraíba do Sul.
O Lobo Guará está entre os animais que sofrem sérios riscos de extinção dentro de nossa fauna.  Pesquisas apontam que daqui a 100 anos essa espécie será totalmente extinta.
A caça predatória, os atropelamentos, a destruição do cerrado, as doenças de animais domésticos  e até crenças populares são as principais causas da sua extinção.
Para preservar a espécie cientistas estão tomando algumas atitudes. Uma delas é criar um selo de qualidade para  os produtores rurais que apoiarem a conservação do animal.


Fonteshttp://www.suapesquisa.com/mundoanimal/lobo_guara.htm
            http://www.petfriends.com.br/enciclopedia/esp_outros/outros_enciclopedialoboguara.htm
            http://www2.tvcultura.com.br/reportereco/materia.asp?materiaid=809

Ararinha Azul

Características

Ararinha criada em cativeiro
A ararinha Azul pesa cerda de 350 g. Sua reprodução dura entre 4 e 5 anos,colocando de 3 a 4 ovos. Alimeta-se de sementes das caraibeiras, pinhão, faveleira e de baraúna, no cativeiro sua alimentação é composta de grãos, frutas, vitaminas, ração e suplemento.

Extinção

É considerada extinta pelo IBAMA, desde 2002, é a arara mais rara do mundo. A espécie desapareceu devido ao tráfico de animais e pela destruição do seu habitat natural.
O último exemplar selvagem dessa espécie avistado em Curaça, no sertão da Bahia, desapareceu em outubro de 2000. Existem apenas 60 exemplares em cativeiro no mundo, apenas 8 são de propriedade Brasileira.

Ararinha única, sua cor tem tons de cinza e seu bico é menor
  • Nome Comum: Ararinha Azul

  • Nome CientíficoCyanopsitta spixii( cyano=azul,psitta=psitacídeo)

  • Filo: Chordata

  • Classe: Aves

  • Ordem: Psittaciformes

  • Família: Psittacidae

  • Comprimento: de 27 a 56 cm( 35 cm de cauda)

  • Cor: Azul


Fonte:http://www.saudeanimal.com.br/ararinha_azul.htm

    Bromélia

    Nome popular: Bromélia-Imperial

    Nome científico: Alcantarea Imperialis (Carrière) Harms Família: Bromeliaceae

    Características: A bromélia-imperial é uma planta herbácea, rupícola, de grandes proporções e elevado valor ornamental. Ela é acaule, com folhas longas e largas, coriáceas, com superfície cerosa, dispostas em roseta e formando um "vaso" no centro da planta, onde acumula água e nutrientes. Pode atingir cerca de 1,5 metros de diâmetro quando adulta. Suas raízes são fortes, fibrosas e se prestam não somente para nutrição da planta, mas principalmente para sua forte fixação sobre o substrato. Essa característica permite que esta bromélia se fixe em paredões rochosos verticais.
    Inflorescência ereta, terminal, ramificada, bem mais alta que a folhagem, com brácteas brilhantes de cor marrom-avermelhada, com numerosas flores de cor amarela. Multiplica-se por sementes e eventualmente pelas mudas que se formam por brotações de estolões. Atrai polinizadores, especialmente os beija-flores. 
     É uma planta rústica, resistente ao vento e à maioria das pragas e doenças.

    Bromélia-Imperial: a beleza explode em cores


    De cada dois tipos de árvore da floresta da Mata Atlântica, um é nativo dali e não se encontra em nenhum outro local do planeta. A maioria das espécies de palmeira também é exclusiva da Mata Atlântica. Mas o recorde fica por conta das bromélias, plantas epífitas, que se fixam nos galhos e troncos de árvores e chegam a compor 70% do total de variedades existentes.
     Por ser uma espécie ornamental muito apreciada em projetos paisagísticos, a Bromélia corre sérios riscos de desaparecer. A inclusão de bromélias não só nos jardins como também em ambientes internos tem sido surpreendente. Isso significa que a procura por espécies é cada vez maior, estimulando a coleta predatória, facilitando a extinção da planta. 



     Mas, não só a ornamentação (que traz grandes lucros  aos comerciantes e estimula a coleta predatória) é responsável por esta ameaça  de extinção das bromelias. Há também a devastação de seus habitats naturais, por aqueles que a julgam proliferadora de insetos responsáveis pela transmissão de doenças como a malária e a dengue.

    As mudas produzidas em viveiros é uma alternativa para diminuir, e  quem sabe, acabar, com a coleta predatória e devastadora do ambiente. As bromélias exercem importante papel no equilíbrio ecológico, como alimento, moradia e refúgio para inúmeros seres vivos - desde protozoários até mamíferos, sendo então, necessária sua preservação.




    Coleção DE OLHO NO MUNDO – Revista Recreio – Mata Atlântica: A floresta corre perigo – Livro 1 – ano 2000
    Fonte Foto: http://www.baixaki.com.br/papel-de-parede/19723-bromelia.htm; colunadosardinha.wordpress.com

    quinta-feira, 18 de novembro de 2010

    Tamanduá Bandeira




    O Tamanduá Bandeira é um mamífero encontrado na América do sul e América Central. Tem o  focinho comprido e fino, o olfato aguçado e uma língua pegajosa  que auxilia na sua alimentação que é composta por formigas e cupins.
    Costuma se cobrir com a cauda quando vai dormir e isso ajuda na sua camuflagem.
    Seu habitat natural é o cerrado, mas por causa de algumas atitudes do homem sua espécie pode ser extinta. O cerrado está sendo destruído para dar lugar aos pastos, além de perder sua casa e sua comida o Tamanduá corre grande risco de ser queimado pois tem o pelo altamente inflamável. Sua morte tbm é provocada por caçadores e por motoristas que o atropelam na estrada.

    Filhote de tamanduá bandeira

    Para que o Tamanduá Bandeira não seja extinto é necessário que ele seja criado em cativeiros. Não seria a melhor solução pois seu modo de vida seria um pouco modificado, mas é uma tentativa para que sua espécie seja preservada.





                              http://www.brasilescola.com/animais/tamandua-bandeira.htm


    Tartarugas Marinhas

    Olá pessoal

    Hoje falarei sobre a extinção das diversas espécies de tartarugas marinhas. 

    Esses animais possuem um comportamento solitário


    As tartarugas marinhas existem há mais de 150 milhões de anos e conseguiram sobreviver a todas as mudanças do planeta, porém elas não estão resistindo ao predadorismo do homem, mesmo que indiretamente. Elas que viveram felizes por muitos milhões de anos, hoje vivem de misérias e abusos do ser humano. Um exemplo é o que acontece no sul da Bahia, onde está localizada a cidade de Porto Seguro, que virou ponto turístico do Estado, as tartarugas por muitas vezes não conseguem desovar nas praias e quando conseguem os seus ovos são depredados por moradores da região por custarem caro, quando os filhotes conseguem nascer ou morrem por predadores naturais, ou morrem por ressecamento, ou atropelados por causa da fotopoluição que nada mais é do que a iluminação das praias, as tartaruguinhas que antes eram guiadas pela luz da lua, para irem em direção ao mar, se confundem e vão para onde há mais luz, ou seja para as calçadas ou avenidas perto da orla. Mas antes delas chegarem a costa, elas passam por muitos apuros, como a caça ilegal, que tem como objetivo abastecer grandes restaurantes, para vender a sua carne que dizem ser afrodisíaca, ou quando caem em redes de pesca e acabam perdendo nadadeiras, acabam se machucando tentando fugir, sem falar na poluição das águas do oceano, que é contaminada por esgotos das cidades, lixo dos banhistas, petróleo que vaza entre outros poluentes. 

    Mulher recolhendo os ovos da tartaruga na Costa Rica
    Um outro problema que é muito grave também são os sacos plásticos jogados no mar. As tartarugas se alimentam de algas, e acabam confundido elas com sacos plásticos, causando asfixia e problemas gastro-intestinais.

    Enfim, não é somente uma espécie de tartarugas marinhas que estão em extinção, e sim todas elas. E das 7 espécies existentes, 5 delas se encontram aqui, no Brasil, então o povo e o governo brasileiro deveria ser maior interessado em preservar esses animais. Infelizmente o nosso IBAMA, apesar de ter como objetivo proteger a fauna brasileira, muitas vezes são manipulados  e influenciados pelo capitalismo, deixando de lado a sua verdadeira essência  que é a  de PROTEÇÃO. Existem ONG's diversas que protegem as tartarugas, a mais conhecida é o Projeto Tamar, mas tem também PATECOSMAR,  que protege vários outros animais aquáticos.




    "APENAS UMA GUERRA É PERMITIDA À ESPÉCIE HUMANA: A GUERRA CONTRA A EXTINÇÃO"
     ISAAC ASIMOV






    Fontes: